De Ponta Cabeça


12/02/2006


3 anos de maturidade


Meu irmão Vicente, 3 anos, é "homem". Não que eu esteja afirmando, mas ele diz que é. São decisões altamente pessoais - eu só concordaria em crescer se tivesse a idade dele. Eu, portanto, pelos olhos do meu irmão, sou uma criança, nunca uma adolescente. Ele acha que sou menor do que ele, mas faz, por birra, a maior questão de me imitar. Come quando eu como, brinca quando eu brinco, apronta quanto apronto. Ou seja, sirvo de inspiração. Como sou a inspiração, recebo a culpa pela bagunça.

Uma dessas manhãs de sol com sabor de casa na praia, eu me deliciei com a última cueca virada do pacote. Vicente, depois de abrir o bocão para brigar o quanto pôde, confessou: "Eu vou abrir a barriga da Mariana e pegar a minha cueca virada que ela comeu!" Todo último bolinho, acha que é dele. O primeiro também.

Vicente tem orgulho de seus anos. Quer sempre aumentá-los, não dá bola para ordem cronológica. Crescer pode mesmo ser tão rápido quanto dar um chute forte na bola. Meu irmão quer completar 5 anos em vez de 4. Quando disseram que ele não pode pular os anos, explicou: "Mas eu já pulei a janela e não me quebrei!"

Escrito por Mariana às 16h18
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web: